Bem vindo (a)!
Home > Destaques > Jesus no Litoral completou 10 anos de missão no Rio Grande do Sul

Jesus no Litoral completou 10 anos de missão no Rio Grande do Sul

O projeto Jesus no Litoral, conhecido nacionalmente pela missão realizada nos litorais do Brasil, completou 10 anos no Rio Grande do Sul em 2015. A edição contou com uma programação comemorativa, e iniciou dia 26 de dezembro e se estendeu até o dia 03 de janeiro.

Cerca de 170 jovens de todo o estado do RS e mais 15 jovens argentinos participaram do projeto 2015/2016 e ficaram alojados em um QG na praia de Torres. Durante toda a semana os missionários puderam evangelizar não somente na praia local, mas também nas praias de Xangrilá, Atlântida e Tramandaí, visitando além da beira da praia, presídios e hospitais.

“Uma virada radical” esse é o slogan do projeto Jesus no Litoral, e para os jovens missionários, não há nada mais radical do que doar suas férias e deixar a família e amigos durante o ano novo para falar do amor de Deus. Na virada do ano, os missionários saíram animados pelas ruas cantando, dançando e anunciando o amor de Deus para os veranistas e moradores que ali estavam. Seguiram em procissão até o morro do farol, na praia de Torres, e lá rezaram pela cidade e pelas pessoas que se aproximavam.

O Jesus no Litoral é uma experiência missionária que transforma o coração de quem participa e recebe a mensagem anunciada pelos jovens. Além da programação com atos externos, como a Via Sacra encenada e a Procissão Luminosa, os missionários também receberam formações sobre santidade, intimidade com Deus e sobre a misericórdia, tema em evidência nesse próximo ano.

Jovens adoradores em espírito e em verdade e apaixonados por Jesus Cristo: esse é o legado que a edição de 10 anos quer deixar no coração de cada missionário, além do desejo de amar Jesus e por Ele doar a vida. As famílias que receberam a mensagem e ali se dispuseram a abrir o coração para Jesus certamente verão os frutos da ação do Espirito Santo nesse ano de 2016.

Fotógrafo: MCS MJ RS

Fonte: Luiza Bedin

Site RCC RS

Deixe uma Resposta